A partir de hoje temos encontro marcado aqui nos Mosqueteiros Cyber para conversar sobre animes. Hoje eu vou pontuar algumas informações sobre formatos de animação, mas em outras publicações trarei análises, indicações e muitas informações nerds…

Anime é o termo utilizado para os desenhos animados produzidos no Japão. É uma expressão ocidental para diferenciar o jeito nipônico de criar desenhos, visto que eles possuem uma identidade muito marcante. Mas para os japoneses, animes são todos os tipos e estilos de desenhos animados, independentemente de sua origem.

A origem da expressão é ambígua. Alguns atribuem a inglesa animation, que significa animação.

Outros, a palavra francesa animée, que significa animado. Se a procedência é imprecisa, a pronúncia não fica atrás. “Ánime”, “aníme” ou “animê”? No Brasil, muitas pessoas aportuguesaram a pronúncia e usam “aníme”, porém se pensarmos no original (afinal é uma expressão japonesa) o mais correto é dizer “animê” (em função da tonicidade na palavra japonesa), mas isso é um mero detalhe.

Os animes são produzidos tendo-se em vista três formatos: séries para a TV, filmes ou OVA. Você provavelmente está familiarizado com eles. O formato mais tradicional é o de séries para a TV. Nesta linha os animes são divididos em temporadas de 12, 13 ou até 25 episódios, e normalmente possuem um fechamento da história. Alguns fogem a esta regra e possuem quantidade muito maior de episódios e temporadas com números variáveis (vide Dragon Ball, Naruto, One Piace, Cavaleiro do Zodíaco, dentre outros).

As séries para a TV após exibição, são lançadas em DVD e Blu-ray (home vídeo), além dos formatos digitais (mercado crescente, com players famosos como Netflix e Crunchyroll). Os filmes são produzidos para exibição em cinema, mas são lançados em home vídeo e muitos chegam a ser exibidos na TV. Eles normalmente possuem história fechada e esta pode ser ou não linkada com uma série para a TV já existente. Todavia, é o caminho natural de uma série para a TV ganhar um filme (principalmente por ser mais barato do que uma nova temporada).

OVA é um caso interessante, porque ele confunde algumas pessoas.

Original Video Animation (ou Original Anime Vídeo), é um produto lançado diretamente para home vídeo. Trata-se de uma história à parte do roteiro principal, que pode seguir regras preestabelecidas por uma série para a TV ou fugir completamente delas. No entanto, a maioria das OVA’s são complementos na história original.

Alguns OVAs têm duração curtíssima (como os de Overlord com menos de 5 minutos) e possuem intuito apenas brincar com situações do roteiro original. Outros, tentam dar seguimento a história e possuem quantidade maior de episódios com duração igual a série para TV (exemplo disso é a Saga de Hades em Cavaleiros do Zodíaco). Temos também exemplos de histórias recontadas em OVAs com diferença da versão série para TV (Helssing Ultimate é muito mais violenta e próxima ao mangá do que a primeira verão produzida no formato para TV).

Bom, sobre formatos é isso! Depois vamos falar sobre gêneros e segmentos de animes…

Até lá!

  • cláudio gomes

    A expectativas pelos novos debates! Ótimo texto