Ultimamente estou voltando a rever muitos animes/desenhos novos que estão fazendo sucesso pelo mundo afora, dos quais citei no Cybercast 10 de Natal, confira lá quais animes foram. Logo, comecei a buscar filmes nesse padrão principalmente nos traços japoneses, com isso venho mostrar para vocês um pouquinho sobre o maior diretor/criador de longas em formato de animes: Hayao Miyazaki

Hayao Miyazaki

Para começar já vou deixar aqui dois filmes, que não são do Miyazaki, mas que todo amante de cinema e de bons filmes tem que ver, Akira e Ghost in The Shell. No qual esse último, especularam uma adaptação para o cinema americano em live action, estrelado pela Scarlett Johansson.

Todos esses filmes, apesar de serem um pouco antigos, são importantíssimos para mostrar um drama bem contado em longa metragem e desenhado como anime. Geralmente esse gênero de filmes é composto por histórias voltado para o público infantil, o que não quer dizer que adultos possam gostar também. Porém, esse post vai mostrar o lado em que uma boa ficção cientifica, fantasias e dramas podem ser bem contados voltado para o público adulto, tanto que o Matrix teve alguns elementos inspirados no anime Ghost in the Shell.

O Hayao Miyazaki, ele tem uma filmografia muito boa, que consta em filmes com a pegada infantil, porém com histórias mais complexas, o que desperta o interesse do público adulto. Suas “filmagens” tem aquela famosa “loucura japonesa” de ter elementos sobre a sua cultura e personagens com características bizarras, que deixam muito mais envolvente e dramático, tendo como exemplo grande exemplo o filme Ponyo e Vidas ao Vento, do qual foi indicado ao Óscar em 2014.

Ele (Hayao Miyazaki) em 2003 ele ganhou o Óscar de Melhor Animação com o filme a Viagem de Chihiro, que na minha humilde opinião de mosqueteiro, realmente merecia e é o melhor filme dele que já vi. Ah um detalhe, em 2014 a Viagem de Chihiro de 2001 foi batido pelo desenho Frozen da Disney em número de vendas de DVDsm além disso o Miyazaki recebeu o Óscar Honorário pela a academia também, por suas grandes contribuições ao cinema, tornando-o assim o segundo japonês a ganhar este prêmio em que o primeiro foi para o Akira Kurosawa.

Não vou fazer um review de cada filme, destaquei os que mereciam mais e deixarei aqui a lista dos seus longas para desfrutarem na sua televisão. Todos os filmes/desenhos dele tem a mesma pegada e reconhecimento, que inclusive o chefe da Pixar, o idolatra como um dos maiores animadores da história junto com Walt Disney.

Segue a lista e clique no nome para ver o trailer de cada um:
Vidas ao Vento (2013) | Ponyo: Uma Amizade que Veio do Mar (2008) | O Castelo Animado (2004) | A Viagem de Chihiro (2001) | Princesa Mononoke (1997) | Porco Rosso – O Último Herói Romântico (1992) | O Serviço de Entregas da Kiki (1989) | Meu Amigo Totoro (1988) | O Castelo no Céu (1986) – se faltar algum comenta aí.

Logo, a pergunta do título, não merece uma resposta e sim uma apreciação às obras do Miyazaki. Só de levar a esse questionamento podemos perceber que o cara pensa fora da caixinha, eleva o desenho a dramas e roteiros dignos de filmes Hollywoodianos e de festivais. Assista e compartilhe essa ideia de mostrar que tudo tem o seu espaço na telinha da sua TV.

Vale ressaltar que tem alguns filmes no Netflix, que bem que poderia nos patrocinar, pois sou baba ovo demais deles (risos). Com isso tem meu touché (que é o termo que usamos como aprovação nossa dos mosqueteiroscyber.com.br, confira mais aqui), servindo também como Cyberdica para desfrutar de viagens muito envolventes e que vale muito a pena conhecer a filmografia desse criador magnifico.
_______________________________________________________________________________

Sabia que temos um podcast, nosso programa quinzenal em áudio? Você pode baixar em todos para todos os dispositivos que tenham Android, iOS, Windows Phone e por aí, nos escutando enquanto pega o ônibus, anda de bicicleta, dirigindo e por aí vai também.

Clique aqui para saber mais como assinar nossos podcasts e receber automaticamente.