Todos sabem como a internet pode ser hostil. Com certeza qualquer pessoa que já acessou por tempo suficiente e comentou em algum lugar da World Wide Web foi alvo de críticas, xingamentos, até mesmo humilhações e ameaças.

Meninas que são consideradas sem graça por não entenderem as “zoeiras” de péssimo gosto…

O que não é tão perceptível – porque na maioria das vezes é visto pela massa como “zoeira”- é a opressão e cobrança assombrosa pra cima, principalmente, das mulheres que se interessam pelo mundo Nerd ou tecnológico em geral. Pessoalmente, estou cansada de ouvir: “engenharia e ciências da computação não são cursos de mulher” ou que “você gosta de nerdices por interesse em homens, ou para aparecer.” “você tem uma necessidade de ser diferente e fica procurando qualquer coisa que a maioria das meninas não gosta.” até mesmo, nos games que jogo “mulher tem que ser suporte, tem uma garota no top? feeder”.

Power-puff-girls-DC-version-P-dc-comics-32568155-500-384

O que me indigna é a cobrança exacerbada para com as mulheres que se interessam por assuntos desse mundo: Elas têm que saber tudo, até mais que os homens, independente de quanto tempo se interessa pelo assunto; e “aí” dela se for debater algo e errar, vai ser linchada e receberá críticas para as próximas duas gerações de filhos. Tudo começa com o mercado nerd ser algo majoritariamente masculino e tem de haver algo errado com a menina que, pelos mesmos motivos que os garotos, se apaixonaram por isso.

 

Meninas que são consideradas sem graça por não entenderem as “zoeiras” de péssimo gosto, de serem sistemáticas com tudo, que exigem educação e respeito durante qualquer diálogo, todas julgadas, mesmo não sendo conhecidas. Acontece que, menina também fala palavrão, brinca e é desleixada, tudo em seu limite, sem ter de se rebaixar chamando os “amigos” de termos machistas ou homofóbicos, tampouco precisando ofender o sexo oposto quando a opinião de uma pessoa discorda da sua.

O problema está no silêncio. As mulheres não têm apoio, então lhes resta ler e reler comentários ofensivos, tentando relevar, dizendo que não liga para o que todos dizem; mas elas (nós) nos importamos com todas as vezes que somos rebaixadas, desmoralizadas e tratadas como resto simplesmente pelos nossos corpos. E, se não concordamos com isso, que saiamos do espaço dos meninos e procuremos outras meninas tão “frescas” quanto nós para não haver conflitos.

Mas será que segregar mais, um espaço que já está tão dividido é melhor opção do que todos abrirem suas mentes e aprendam com as novas experiências que a união de gêneros pode trazer? Enfim, mesmo tendo a minha opinião, acho mais do que justo deixar esta questão para debate nos comentários ou nos assuntos de boteco. Espero ter escrito algumas palavras que possam fazer vocês repensarem suas posições, já que lugar de menina hétero, lésbica, trans, e de homens héteros, gays, trans, entre outros, é no lugar que eles quiserem!

CLIQUE AQUI E ESCUTE NOSSO PODCAST SOBRE O TEMA