Review: Stranger Things (Sem Spoilers)
ImersãoPersonagensConexõesSinergia
Efeitos Especiais
9.3NOTA
Votação do Leitor 3 Votos
9.2

De Tarantino a Spielberg, de Goonies ao Alien, de Tron a Poltergeist, Stranger Things coloca o espírito nostálgico dos anos 80 em uma história envolvente e aterrorizante.

Olá pessoal, hoje irei falar sobre o novo “clássico” da Netflix, colocando pontos altos da série como as referências, trama, o clima oitentista e também os falsos pontos negativos. Você entenderá melhor sobre o que quis dizer mais abaixo. Ah, cabe lembrar a vocês para lerem outros reviews que já publicamos aqui no site (clique aqui) e não deixem de nos acompanhar no Facebook, pois postamos muitas coisas divertidas e notícias na rede do Zuquinha!


CAPÍTULO 1 – A SURPRESA

Como muitos devem saber, uma série leva um certo tempo para ser concebida, filmada e ser lançada. A Netflix teve a maestria de em pouco tempo lançar alguns teasers e trailers, chamar a atenção e impactar com algo inesperado. Geralmente se sabe a existência de muitas coisas já durante a produção do material. Isso ajudou ainda mais a impactar com algo tão bom sendo apresentado.


CAPÍTULO 2 – HISTÓRIA, E QUE HISTÓRIA!

Basicamente é um sumiço de uma criança, mostrando o desespero da família e que pode ser um caso comum de desaparecimento. Para nós o público não foi nada simples e bem misterioso. Porém para os personagens, tudo era questão de fazer as perguntas certas e acreditar no impossível.

Assim a trama começa estilo Goonies e aos poucos se torna um suspense pesado. De uma aventura a um drama aterrorizante. Stranger Things anda nessas vertentes o tempo todo, de acordo com cada núcleo de elenco. Por exemplo, quando é o núcleo das crianças Mike Wheeler (Finn Wolfhard), Dustin Henderson (Gaten Matarazzo)Lucas Sinclair (Caleb McLaughlin)Eleven/Onze (Millie Bobby Brown) temos uma aventura.

Já quando temos Joyce Bayers (Winona Ryder) com seu filho Jonathan Byers (Charlie Heaton) o delegado Jim Hopper (David Harbour) e posteriormente a Nancy Wheeler (Natalia Dyer) como são mais adultos, vem um drama mais pesado. Assim temos também o núcleo cientifico liderado pelo “pai” da Eleven, o Dr. Martin Brenner (Matthew Modine), gerando uma ficção-científica aterrorizante, com elementos fantásticos permeando o mistério de tudo.

Cabe ressaltar que os personagens e atuações estão em repleta harmonia, atuando em cada núcleo ou até mesmo quando se encontram mantem a personalidade e a realidade de cada um. Isso não menospreza as crianças por serem jovens e nem os adultos por serem “experientes”, ambos são importantes juntos e separados.


CAPÍTULO 3 – REFERÊNCIAS QUE FAZEM SENTIDO

Tubarão, Thing (O Enigma de Outro Mundo), Senhor dos Anéis, O Hobbit, Star Wars, Dungeons and Dragons entre outras referências, são muito mais do que meras homenagens na série, elas jogam pistas de possíveis respostas ou complementam informações que serão reveladas ao longo dos episódios. Fica a dica, você que está ou irá começar a ver Stranger Things, pode reparar mais nas músicas, posters de filmes e falas que referenciam a série.

No final desse review irei comentar sobre algumas teorias que pensei e li na internet, relacionando as referências com os acontecimentos da série. Muita coisa legal pode acontecer!

 


CAPÍTULO 4 – TRILHA SONORA IMERSIVA

A trila é totalmente oitentista. Você consegue identificar aqueles sons mais intimista, com um toque de video-game de 16 bits. Para ficar mais claro, estilo o Tron clássico, e um pouco desse filme atual Tron: O Legado. A música do The Clash – Should I Stay or Should I Go, foi um ótimo exemplo do rock da época, tem um significado na letra da música que condiz com acontecimentos da série.

Cabe ressaltar também a iluminação e luzes, são elementos que ao invés de colocarem neon em tudo foi bem representado o mundo colorido disco dos anos 80, nas luzes de natal que viraram meme pela internet. Inclusive você pode criar o seu gif a própria Netflix fez o site STRANGER GIF.


CAPÍTULO 5 – DEFEITOS ESPECIAIS OU PROPOSITAIS?

Bom a série tem esse defeito, mas dá para relevar se for algo proposital da linguagem adotada. O monstro ele quando anda ou ataca é mal feito, ou melhor, orçamento baixo. Fica algo parecido com movimentos de animatronic ou de stop motion. Isso fica de certo modo bem óbvio e chega a te tirar a imersão. Mas se você pensar que os filmes desse gênero na época eram feitos desse modo, não tinham os recursos tecnológicos de hoje. Por exemplo, os movimentos do Alien ou do Exterminador do Futuro. Incomoda, mas pode ser justificável pelo estilo adotado na linguagem de Stranger Things.


CAPÍTULO 6 – FINAL DA TEMPORADA REPLETO DE GANCHOS

Não se preocupe não darei nenhum spoiler, mas a série soube trabalhar muito bem vários elementos para deixar muita coisa a ser explicada, criando novas dúvidas que te fazem discutir sobre o que pode vir na próxima temporada. A série fazer isso de forma que você não se sente traído por esperar tanto, mas te joga a discutir tudo que pode vir.

É isso pessoal, deixem nos comentários aqui no site a sua opinião que vamos discutir com você, compartilhe no Facebook, e não se esqueça de deixar a sua nota aqui no começo desse post!


BÔNUS COM SPOILER

Como falei durante todo o review, tudo na série faz sentido ser referenciado. Pois, a trama é exatamente uma quest, com pequenas missões de uma crônica do Dungeons and Dragon. A primeira temporada toda foi exatamente como uma partida de RPG, em que você tem os aventureiros, uma maga, discussões de estratégias, missões secundárias que ajudam a ganhar mais experiência para derrotar o monstro.

É isso aí pessoal, não deixem de marcar seus amigos, comentar mais teorias aqui nesta postagem, pois ainda tem coisas como os ovos que referenciam aos dos filmes da franquia Alien, que podem indicar mais de um monstro diferente, pois você lembra da Barbara Holland (Shannon Purser)? Ela foi “assimilada” por um monstro de tentáculos né?

Os filmes que aparecem citados ou os próprios pôsteres como Tubarão, Star Wars, O Enigma de Outro Mundo, dão pistas de personagens como a atração do sangue pelo Monstro (Demogorgon), o policial lembrar o Lando Calrissian de Star Wars (o traidor bonzinho e desconfiável).

Para não ficar falando de todas as referências possíveis, tem uma muito legal relacionado ao filme O Enigma de Outro Mundo. Neste longa de 1982, a trama era basicamente sobre os membros se manterem vivos e tentarem descobrir quem foi assimilado pelo “monstro”, ou seja, quem A COISA tocasse viraria um alienígena, porém ficaria ainda ficaria como um humano normal.

Assim, a relação direta com o garoto perdido Will e com as coisas que acontecem no final com ele deixam mais ainda a pulga atrás da orelha. Ah, coincidência ou não esse filme de 1982, The Thing em inglês, a história acontece no começo do inverno, e Stranger Things termina no começo dessa estação.

É isso aí pessoal, não deixem de marcar seus amigos, comentar mais teorias aqui nesta postagem, pois ainda existem coisas como os ovos que referenciam os dos filmes da franquia Alien, que podem indicar mais de um monstro diferente, pois você lembra da Bárbara (ou pelo apelido Bra)? Ela foi “assimilada” por um monstro de tentáculos né?

Obrigado, um por todos e todos por um!

  • Adriano José Gonçalves

    Netflix… Como seriam as nossas vidas sem você…